COFRE DE PREVIDÊNCIA DO MINISTÉRIO DA FINANÇAS (Situação actual, de “cara lavada”)

Maio 10th, 2011

Queria antes de mais dar os meus parabéns à Direcção e restantes Corpos Gerentes, que tomaram posse neste novo ano de 2011 à frente do velhinho Cofre de Previdência do Ministério das Finanças. Tenho lá amigos e pessoas conhecidas que reputo de sérias e que, certamente, darão o seu melhor, ao leme dos destinos do Cofre.

No passado fui, talvez, a voz mais crítica, tanto das Direcções presididas pelo Director de Finanças Guerreiro Lourenço, como pelas, depois, pelo também Director Empina Moscas. E fui crítico com base em grandes indícios de corrupção e gestão danosa ou no mínimo dolosa. A minha voz nunca se calou tanto em documentos escritos, como os que constam deste site, como nas Assembleias Gerais, a que procurava não faltar;   sempre com a preocupação de denunciar os enormes abusos na gestão do Cofre, como na falta de transparência e democraticidade, nas Assembleias Gerais. Durante cerca de uma vintena de anos o Cofre foi gerido em sistema de regabofe, pelos “donos da quinta, sem quaisquer preocupações éticas, constituindo, também uma feira de vaidades ao serviço de personagens alheias ao espírito do mutualismo e dos valores e princípios da decência.

Sou da geração de homens e mulheres muitos deles e delas saudosos(as), desaparecidos(as), que na sequência do “25 de Abril”, sanearam os Corpos Gerentes ligados ao regime fascista. Fui com muitos outros um membro muito activo nessa luta, já lá vão 37 anos.  Pensava então, ou melhor sonhava, que o Cofre  deveria ser (e nos primeiros anos sequentes a “Abril” foi) uma instituição ao serviço dos sócios, sem descriminações de nenhuma espécie (no que se reporta à condição económica e de estatuto profissional dos associados).  Tal como a generosidade e genuinidade do espírito são de “Abril”, na sociedade portuguesa se foi abastardando (até chegarmos à deplorável situação que vivemos), também no Cofre (agora denominado Cofre de Previdência dos Funcionários e Agentes do Estado, embora ainda dê e seja conhecido como Cofre de Previdência do Ministério das Finanças) o caruncho do espírito que ofende os ideais da revolução de “Abril” foi entrando, progressivamente,  minando a transparência, a democraticidade e a generosidade dos velhinhos ideais mutualistas e da revolução dos cravos.

Ainda pertenci aos Corpos Gerentes do Cofre, quando este se geria por valores de generosidade e seriedade.  Todavia, em 2007, culminando toda uma acção de contestação ao regabofe, que atrás já referi, encabecei e animei uma lista para a sua Direcção, destinada a tentar inverter o caminho de abusos de que os seus Corpos Gerentes eram fautores. Perdi, mas não desisti e conjuntamente com muitos membros dessa equipa, que me acompanhou, animámos e ganhámos Assembleias Gerais, contra toda a soberba e o dito regabofe instalado. Os “donos” do Cofre tremeram, mas como eram uns sem vergonha lá continuaram a sua deplorável gestão, que tudo devia à ética, à transparência e à democraticidade (valores pelos quais sempre me bati).

Penso que o Cofre hoje tem a cara lavada, com estes novos Corpos Gerentes, permitindo-me, passe a imodéstia, o descanço do guerreiro, até porque a minha condição de singelo autarca (deputado municipal nas Caldas da Rainha) e a saúde, não me possibilitam o antigo activismo.  Aos novos Corpos Gerentes lanço o repto de irem além de uma gestão democrática e séria, modernizando o Cofre sem esquecerem os velhos ideais mutualistas e dos primeiros tempos da “revolução dos capitães”.  Nestes tempos tão difíceis para a grande maioria dos trabalhadores portugueses e, consequentemente, para a grande maioria dos associados do Cofre, este pode ser,  não análogo e ao género, digamos, da Banca e das seguradoras comerciais, mas antes uma instituição progressista, de generosidade e solidariedade.

Viva o Cofre de Previdência do Ministério das Finanças !

Vivam todos aqueles que querem um Cofre ao serviço dos sócios, com destaque para os mais humildes !

Fernando Rocha

Entry Filed under: Administração Fiscal,Cofre Prev. Min. das Finanças,Geral

5 Comentários Inserir o seu Comentário

  • 1. Luiss Paiva Boléo  |  Maio 16th, 2011 ás 1:09

    Obrigada pelas suas palavras.
    Pela minha parte~, ou melhor dizendo, pela Direcção, pois somos um órgão colegial, estamos e tentar fazer o melhor pelos sócios do Cofre. Vamos corrigir o que é preciso e fazer muito mais, embora as circunstâncias actuais nos não permitam ir muiti mais longe no apoio aos sócios como desejávamos.
    Temos um enorme desafio pela frente. Revisão dos Estatutos, melhores protocolos com entidades semelhantes, reavaliação dos projectos em curso, etc.
    Se ainda é sócio a revista será uma parte da mudança e o site ven a seguir, para chegar mais depressa e melhor aos sócios.

    Até breve.

  • 2. Francsico Boal  |  Dezembro 17th, 2011 ás 20:29

    Até que enfim que vejo o Rocha, “satisfeito” com alguma coisa :)
    É evidente que a actual Direcção, bem como todas as outras que a antecederam, tiveram, tem e terão sempre a maior contribuição possível dos trabalhadores. E isto porque os fins prosseguidos pelo Cofre são “viciantes” e os seus colaboradores, como qualquer ser humano, sentem prazer em bem fazer. No fundo, a satisfação do associado como que se transfere para o seu íntimo, realizando também a sua satisfação pessoal.
    Boas Festas e até sempre
    Francisco Boal

  • 3. Luísa Paiva Boléo  |  Dezembro 17th, 2011 ás 22:55

    Caro sócio. Não fizemos nem fazemos promessas, porém neste nº 4 da Revista do Cofre que espero leia com atenção vai saber como se efectuaram obras de melhoramentos na residência de Loures, como adquirimos uma vivenda no Porto e um edifício em Lisboa para fazer residências para estudantes jovens e séniores, informatizámos os serviços no mês de Setembro, comprámos novos computadores para os serviços nas Rua dos Sapateiros e do Arsenal, contratámos uma empresa para fornecimento das refeiçoes aos Lares, para evitar as «fugas» de alimentos e melhorar as refeições e comemorámos os 110 anos na Quinta do Paúl no dia 3 de Dezembro, embora o decreto seja de 24 de Dezembro de 1901.
    Depois pode-nos contactar e visitar para ver o que temos feito.
    É cedo para pois só em Janeiro completamos um ano, mas temos andado a uma velocidade muito boa.
    Melhores cumprimentos
    LPB

  • 4. Luísa Paiva Boléo  |  Dezembro 17th, 2011 ás 22:58

    Esqueci-me de falar no novo seguro de saúde que será uma realidade em Janeiro de 2012 com inúmeras vantagens.Das obras na Rua do Arsenal, de uma auditoria aos unvestimentos e muito mais.

  • 5. Luísa Paiva Boléo  |  Abril 3rd, 2012 ás 15:28

    Caro sócio Rocha. Espero que já lhe tenha chegado à sua caixa do correio a revista nº 5 e que a leia e comente como é seu apanágio. Depois diga-me o que achou s.f.f.
    Cá estamos para melhorar todos os dias.
    Somos uma equipa empenhada e insatisfeita e queremos recuperar o tempo perdido. Um abraço solidário

Deixar Comentário

Obrigatório

Obrigatório, hidden

Comment spam protected by SpamBam

Algum HTML permitido:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Calendário

Novembro 2014
S T Q Q S S D
« Out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Artigos mais recentes